SiG Portal
 
GESTÃO
Publicado em: 22/01/2015
Por: Edson Gutierrez
 
Método das 6 Peneiras para definição de fornecedores críticos ao SGI
 

Conforme tratado em nosso primeiro artigo sobre o tema “Por que qualificar fornecedores?”, fornecedores e prestadores de serviços representam RISCOS, que se não gerenciados de forma satisfatória, podem gerar impactos muitas vezes irremediáveis.

 

O primeiro passo para se estabelecer uma sistemática de Qualificação de Fornecedores (Gerenciamento de riscos), é saber identificar quais são estes fornecedores dentre os vários existentes em sua organização. Esta etapa é de suma importância, pois se feita de forma inadequada, implica em duas possíveis falhas:

  1. A organização deixa de identificar fornecedores importantes como críticos, deixando de administrar os riscos atrelados ao seu fornecimento;

  2. A organização sobrecarrega sua sistemática, identificando todos (ou quase todos) fornecedores como críticos, tornando dispendiosa sua manutenção e engessando desnecessariamente seu processo de Compras;

Diante desta perspectiva, criei uma metodologia que chamo de "O Método das 6 peneiras" para definição de fornecedores críticos para um Sistema de Gestão Integrado sob a ótica das normas ISO 9001, ISO 14001 e OHSAS 18001, mas que facilmente pode ser adaptada para qualquer norma de gestão.

O método (muito simples, diga-se de passagem!!!), consiste em submeter cada fornecedor ou prestador de serviços a 6 perguntas básicas, que representam a 6 peneiras.

 

 

Possui Potencial de afetar a qualidade do seu produto ou prazos firmados com Clientes?

Nesta primeira peneira deve-se questionar qual fornecedor tem potencial de impactar seu produto final, tais como matérias primas ou componentes agregados ao seu produto.

 

Possui potencial de afetar a continuidade de seu processo produtivo?

Aqui, pense na possibilidade de seu fornecedor atrasar suas entregas, ou ainda, se interditado por órgãos oficiais como a Cetesb ou o Corpo de Bombeiros. Você consegue substitui-lo prontamente? Enquadram-se nesta categoria fornecedores como fornecimento de gás, óleo e outros tipos de combustíveis e fornecedores sem concorrência no mercado.

Às vezes, em treinamento, pessoas ficam surpresas ao afirmar que, dependendo do fornecedor, é imprescindível monitorar sua Licença Ambiental como critério de qualificação da ISO 9001 (Gestão da Qualidade). Imagine que ele é o único fornecedor no Brasil, como fica se ele for interditado pelo órgão ambiental? Você para de produzir?

 

               

Possui Potencial de afetar a imagem de sua organização?

Nesta peneira, avaliamos os casos em que se o fornecedor tiver algum problema de maior relevância como um incêndio, ou uma denúncia do Ministério do Trabalho ou órgão ambiental afete sua imagem. Especial atenção deve ser dada a fornecedores que trabalham de forma exclusiva para sua organização.

 

            

Pode gerar um impacto ambiental significativo em nome de sua organização e gerar corresponsabilidade?

Antes de avaliar este critério, importante assumir um ponto. Sua empresa não é o órgão ambiental!!! E não tem a responsabilidade de assegurar que seus fornecedores atendam a todos os requisitos legais.

Deve selecionar os fornecedores que geram impacto ambiental em seu nome, em que sua organização pode ser corresponsabilizada em caso de falhas de seu fornecedor.

Imagine que você tem um tanque de 5.000 litros de óleo em sua planta para abastecimento de sua frota, e compra óleo diesel da Petrobrás, imagine que tem um acidente nas instalações do distribuidor e ocorra uma contaminação ambiental. Você tem corresponsabilidade? De forma alguma! Agora diferente será se o aterro que contratou para dispor seu resíduo contaminar o lençol freático da cidade. A diferença é que este último trabalha em seu nome.

 

   

Pode afetar de forma significativa a saúde e segurança de seus profissionais?

Normalmente existem dois tipos de fornecedores que se enquadram nesta categoria:

  1. Fornecedores atrelados a serviços ou produtos de controles de SST. Ex. Empresa contratada para elaborar seus Programas de SST (PPRA, PCMSO, PPR, etc), ou ainda o laboratório em que seus funcionários realizam audiometria. Note que nesses casos, apesar de ser um fornecedor crítico a OHSAS 18001, um controle que reduz riscos é selecionar fornecedores certificados pela ISO 9001, pois seu maior risco está atrelado a qualidade do fornecimento destas empresas.

  2. Fornecedores que prestam serviços dentro de suas instalações. Alguns prestadores geram riscos em sua planta que pode afetar a segurança de seus funcionários. Acho por exemplo muito curioso, empresas que possuem tanques com materiais inflamáveis e/ou pressurizados (vaso de pressão) como Nitrogênio Líquido, Amônia, GLP entre outros, em sistema de comodato e não controlam a qualificação do profissional do fornecedor que entra para fazer manutenções ou abastecimento. Se esse profissional fizer uma bobagem, sua fábrica pode “ir pelos ares”.

     

     

    A saúde e segurança de profissionais de seus fornecedores pode ser afetada pelo seu produto ou de forma que gere corresponsabilidade para sua organização?

Normalmente enquadram-se nesta categoria prestadores de serviços que realizam trabalhos dentro de sua planta, e que caso sofram algum acidente ou desenvolvam alguma doença, sua empresa será corresponsabilizada. Ex. Fornecedores que realizam trabalhos em altura, espaço confinado, entre outros.

Importante lembrar também casos em que sua empresa envia um produto ou um resíduo para um fornecedor que pode representar risco ao ser manuseado, é por isto inclusive que a legislação passou a exigir recentemente o envio de FDSR (Ficha de Segurança de Resíduo Químico) conforme NBR 16725 para empresas receptoras de resíduos classe I.

 

Submetidos as 6 peneiras, caso o fornecedor fique retido em uma ou mais peneiras, o fornecedor será considerado crítico, e deverão ser implementados controles focados na peneira que motivou sua classificação.

Nestas avaliações, é interessante levar em consideração a ausência total de controles, para posteriormente mensurarmos o risco e a eficiência dos controles implementados.

Em um posterior artigo, trataremos sobre a elaboração de uma Matriz de Avaliação de Riscos de Fornecedores baseada no método das 6 peneiras.

 
 
Edson Gutierrez
[email protected]
Engenheiro Ambiental
Auditor Líder e Consultor em Sistemas de Gestão - ISO 9001, ISO 14001, OHSAS 18001 e SA 8000
Coordenador do SiG Portal