SiG Portal
 
ISO TS 22000
Publicado em: 03/11/2014
Por: Fernando Ubarana
 
Publicação da ISO 22004:2014
 

No início deste mês foi publicada a nova versão da Norma ISS 22004, que provê um guia para aplicação da Norma ISO 22000. Como é de conhecimento geral, a ISO 22004 não é uma norma certificável, e tem caráter somente orientativo, auxiliando na interpretação dos requisitos da ISO 22000, essa sim certificável.

A Norma foi completamente reestruturada. A versão anterior, publicada originalmente em 2005, seguia exatamente a divisão de requisitos da ISO 22000 (com 8 seções). A nova versão tem 9 seções, e a estrutura tem uma divisão mais claramente orientada de acordo ao ciclo PDCA. Os capítulos 5 a 8, que são os principais, são designados, nessa ordem: Planejamento, Implementação, Verificação e Melhoria. Para facilitar a consulta pelos usuários há uma correlação de requisitos entre a ISO 22000 a ISO 22004 (Anexo A).

Algumas mudanças ou informações interessantes a respeito da nova versão:

- Novos termos e definições: perigo significativo, desvio e limite/critério de ação. O objetivo aqui é claramente definir que perigos significativos são controlados por PPRO ou PCC (ou combinação deles) e que o conceito de limite crítico se aplica realmente só a PCC, sendo criada a terminologia de limites ou critérios “de ação” para os PPRO. Isso é esclarecido também ao longo da Norma.

- Reforço na abordagem PDCA para o sistema de gestão da segurança de alimentos (SGSA).

- Deixa de existir a árvore decisória extremamente confusa que havia na versão anterior, que dava a ideia de que perigos significativos podiam ser controlados também por PPR (talvez esse seja um assunto interessante para posts futuros).

- Maior detalhamento sobre validação, usando a abordagem do Guia de Validação do Codex Alimentarius , CAC/GL 69:2008 (esse certamente é um grande avanço, que contribuirá muito com a consistência das medidas de controle).

- Está mais claro o conceito de monitoramento como parte das operações do “dia-a-dia” (o “Do” do PDCA) e da verificação como parte do “Check”.

- Mais exemplos sobre recursos que devem ser gerenciados e providos em um SGSA, incluindo: equipamentos, instalações, materiais, energia, conhecimento, “budget” e pessoal.

Leia mais em: http://foodsafetybrazil.com/publicacao-da-iso-220042014/#ixzz3I1mHMGbc

 
 
Fernando Ubarana
Engenheiro de Alimentos, formado pela UNICAMP e especializado em Qualidade e Produtividade pela Fundação Vanzolini – USP
Foi um dos auditores líderes registrados precursores em sistemas de gestão de segurança de alimentos e primeiro tutor líder no Brasil do curso registrado pelo IRCA de formação de auditores líderes na Norma ISO 22000. Mais de quinze anos de experiência na área, atuando atualmente na indústria, com foco no gerenciamento da segurança de alimentos.